Histórico

Os primeiros habitantes das terras que deram origem ao município de Novo Horizonte procederam de Descalvado e Pirassununga à procura de terras férteis pelo sertão adentro. O cidadão Joaquim Ricardo da Silva, tendo feito uma promessa a São José, resolveu erigir uma Igreja em homenagem ao santo de sua devoção, tendo a construção iniciada em l895. Para maior sucesso os senhores Antonio Cardoso de Moraes, Joaquim Vaz Floriano, Joaquim Portes da Silva e Maria Pinto Cardoso doaram 30 alqueires de terra que desta forma faziam nascer o Patrimônio de São José da Trindade que, em 1896, passou a chamar São José da Estiva, nome recebido por influência da Fazenda Estiva.


Em 1897, aqui chegou o senhor José dos Santos Fonseca, que comprara terras na região do Rio Morto e achando a florescente povoação semelhante à cidade de Belo Horizonte, estendeu-se com a Comissão Fundadora que era composta por José Carvalho Leme, Pedro Alves do Vale, Irineu da Silva, Joaquim Pinto Cardoso e José Antonio de Lima e batizou-a com o nome de NOVO HORIZONTE. Nessa época a cidade pertencia ao município de Itápolis, que na época se chamava Boa Vista da Pedra.


Construída a Igreja local, a primeira imagem de São José foi doada pelo senhor José Carvalho Leme e transportada de Araraquara para cá, pelo senhor Jerônimo Ramalho, que aqui chegou em 26/03/1896. A povoação deveria ser construída nas proximidades do Rio Três Pontes, mas a Comissão não achou o local propício, dando, por isso, preferência a uma região mais alta, onde se localizava a Fazenda Estiva. A terra muito fértil, a água límpida, o solo cortado por córregos, favoreceram a implantação da nova cidade.


O Distrito de Novo Horizonte foi criado pela Lei Estadual nº 993, de 02/08/1906, sendo sua sede elevada à categoria de Vila, pela Lei número 1038, de 19/12/1906. A Lei Estadual de nº 1530 de 28/12/1916, criou o município de Novo Horizonte. O município foi instalado em 28/10/1917.


A Comarca de Novo Horizonte foi criada em 1922, antes de ser criado o Cartório da Paz, havia um procurador encarregado de fazer os registros, casamentos e óbitos em Itápolis.


A primeira pessoa registrada em Novo horizonte foi a menina Aparecida de Oliveira, filha de Roldão Oliveira, nascida em 20/11.1907. O primeiro casamento foi do casal Manoel Barbosa e Maria Oliveira, que aconteceu no dia 24/12/1907. O primeiro falecimento foi registrado no dia 15/12/1907 e o óbito foi da senhora Almerinda de Jesus. O primeiro juiz da paz que nossa cidade teve foi o senhor Francisco Pires de Moraes Teixeira.


Nos fortes solavancos da vida formou-se a cerca de 400 km da capital paulista a cidade de Novo Horizonte. Uma cidade, típica do interior, com características fortes e marcantes. Novo Horizonte possui uma economia voltada para as atividades agrícolas e pecuárias. Sua população é de aproximadamente 35 mil habitantes, representados pela benemerência e solidariedade.