Vereador Pastor Celso solicita ao Executivo Municipal inclusão da Semana de Conscientização sobre Depressão Infantil no calendário de eventos do Município

Publicado por: Brunara Ascencio - Jornalismo CMNH

Publicado em: 24 de abril de 2019

O vereador Celso Andrade Júnior (Pastor Celso) apresentou, na sessão ordinária realizada na segunda-feira (15), o Requerimento nº 168/19, ao Executivo Municipal, solicitando a possibilidade de elaborar um Projeto de Lei, conforme Anteprojeto de Lei que encaminhou anexo, que "Inclui no calendário de eventos do município de Novo Horizonte a Semana de Conscientização sobre Depressão Infantil e dá outras providencias".

Celso explicou que a depressão é uma doença grave, que atinge 8% das crianças, interferindo no dia a dia das pessoas, comprometendo a qualidade de vida de quem a tem. "Alguns fatores predispõem à depressão: genéticos; cognitivos - modo de pensar da pessoa e da família em que ela nasce; maus-tratos domésticos; ser vítima de bullying - tipo de violência psicológica ou física que a criança sofreu recorrentemente; pertencer a minorias sexuais; luto por perda de entes queridos. Um dado interessante é que as crianças que cometem o bullying também têm taxas maiores de depressão", observou.

Segundo o edil, a depressão infantil é mais difícil de diagnosticar e se caracteriza pelo transtorno de humor adonia - pouca capacidade de se divertir, sonolência ou insônia, mudança no padrão alimentar, fadiga excessiva, irritabilidade, sentimento de culpa, choro, ideias de morte ou suicídio; e muitas vezes esses sintomas podem ser confundidos com má-criação, birra ou pirraça.

Conforme o vereador, o tratamento da depressão deve estar baseado em dois pilares por meio de medicamentos e de psicoterapia, que é imprescindível, pois em muitas depressões leves, a psicoterapia é suficiente para curá-la. "Em casos mais graves o medicamento deve ser associado ao tratamento psicoterápico. A prevenção da depressão infantil deve contar com os familiares, principalmente os pais e todos aqueles que rodeiam a criança, pois um leigo que tenha algum conhecimento sobre depressão infantil pode passar informações aos pais e auxiliá-los no tratamento da doença", salientou.

Celso lembrou que a doença muitas vezes passa despercebida pelos familiares, que acham que a criança tem bom comportamento por ser quieta e quando há uma solicitação da escola para acompanhamento, normalmente devido ao baixo rendimento escolar, a depressão já está instalada, necessitando de ajuda profissional para iniciar o processo de intervenção. "Muitos pais não aceitam o diagnóstico de depressão dos filhos, por isso a importância e abrangência do tema a ser levado pelos órgãos competentes para fomento do assunto pela relevância do tema", finalizou.

 

********

Tramitação

- Para acessar a íntegra e a tramitação do Requerimento, clique aqui.



Cadastre-se e receba notícias em seu email